História

A fundação

Fundado em a 1 de Dezembro de 1933, o Padernense clube foi definido pelos seus fundados como uma colectividade recreativa e cultural. O aparecimento da colectividade é fundamentalmente impulsionado pelas gentes mais abastadas da freguesia, tais como artesãos, pequenos agricultores ou pequenos comerciantes. Sem registos históricos fidedignos, supõe-se que o núceo fundador era composto por Drº José Francisco Cortes de Menezes(1º Presidente da Assembleia Geral), António Correia Modesto, Manuel Gonçalves Cruz(1º Presidente), Acácio da Silva Júdice (1º sócio inscrito), Álvaro da Silva Medeiros, Abel Guerreiro Gomes, António Rodrigues Gaspar, José de Sousa Ramos, Herculano da Palma, Manuel Gonçalves Galo Louro,Vírgilio dos Santos Silva, Joaquim Guerreiro Elói, António Gonçalves Aleluia, João da Silva Medeira, José Guerreiro Elói, José da Silva Oliveira, João Soares Baptista, Francisco Paula Batista, António Sousa Neteo, José de Sousa Dias e Francisco Brito Lima. 

Ficou definido que no seu emblema ficaria representado o Castelo de Paderne, um dos castelos representados na Bandeira Nacional, e que as suas cores seriam o amarelo e azul.

A primeira sede conhecida localizava-se na Praça da Républica, em Paderne, onde funcionou até 1934, de onde transitou para o nº 27 da rua António Aleixo de passagem para uma longa estadia, em 1936, na já desactivada sede na Travessa Madressilva, naquela que ainda hoje é também conhecida como a Rua do Clube.

Em 1951 dá-se um refundação do clube para aprovação de novos estatutos, que sem dados históricos contrectos se pressupões que à data fosse um requisito legal para garantir personalidade jurídica à colectividade.

É em 1979 que se começam a desenvolver actividades de ténis de mesa, com a criação de uma equipa que começou a competir a nível distrital.

Em 1985 dá-se então o aparecimento da secção de Futebol, impulsionada por praticantes do desporto como Luis Neves, Luís Alho, João Ruaça e Jorge Nunes, assimo como de alguns sócios como Miguel Coelho, Eleutério Grada, Hélder Dias, Francisco Helena, Otelo Cabrita, Belmiro Cordeiro, José Joaquim Cordeiro e Diamantino Jorge, sendo que é a 1 de Agosto de 1985 que o clube se regista na Associação de Futebol de Faro.

Com um trajecto iniciado no campo da FACEAL, e passando de seguida para o campo das Alagoas, a equipa de futebol rapidamente teve de localizar outro campo tendo conseguido a cedência do campo do Sport Algoz e Benfica durante duas épocas e só em 1989 o Padernense Clube conseguiu estabilizar-se no Estádio João Campos, nome em homenagem a um grande atleta padernense que ganhou uma medalha de ouro nos Campeonatos do Mundo de Pista Coberta em atletismo.

Em 1991/1192 dá-se a primeira participação do Padernense nos campeonatos Nacionais, nomeadamente na 3ª divisão, época em que também se dá a primeira participação na Taça de Portgal.

A partir de 1994 é decidido pela direção do clube abandonar a sede social na Travessa Madressilva e passar a funcionar de forma provisória no Estádio João Campos.

A  época de 1996/1997 ficou marcada pelo arrelvamento do campo do Estádio João Campos que foi estreado com um amigável com um histórico do futebol portugues, o Sporting Clube Farense. Nesta mesma época é construido o campo pelado dos Montes Elóis, com o objectivo de ter espaço para albergar os inúmeros jovens que compunham as camadas jovens do clube

Em 1997/1998 o futebol juvenil atinge o seu apogeu, garantindo a subida ao primeiro escalão regional nas categorias de juniores, iniciados e juvenis, tendo-se inclusive sagrado campeão de Infantis da 2ª Divisão Distrital, num excelente trabalho liderado pelo Srº Agostinho Guerreiro. 

Na época de 2000/2001 dá-se o ponto mais alto da história do Padernense. Com a obtenção do 2º lugar na série F do campeonato da 3ª divisão Nacional, o Padernense assegurou a participação na época seguinte na 2ª Divisão B, numa equipa técnica liderada por Paulo Campos, coadjuvado por Luís Neves, e numa direção presidida por Daniel Neves com Agostinho Guerreiro, agora a liderar o futebol sénior.

Esta participação na 2ª Divisão B veio a revelar-se fatal para o clube, que com a necessidade financeira resultante das deslocações necessárias, acabou por ver as suas frágeis financas fragilizadas e viu a sua capacidade de investimento reduzir, resultanto em sucessivas despromoções. Esta tombo resultou na suspensão do futebol sénior em 2003/2004.

É em 2006/2007 que é retomada a actividade desportiva e logo nessa época, a equipa liderada pelo jovem treinador José Viegas, atinge o 2º lugar e a consequente promoção. Na época seguinte, nem a troca de José Viegas por Paulo Campos foi suficiente para evitar a descida ao 2º escalão do Campeonato Distrital.

Desde aí, é oscilando entre divisões que o futebol sénior do Padernense tem andado, não conseguindo estabilizar na 1ª divisão.

De referir que em 2008 é inaugurada a actual sede, no Pavilhão Desportivo de Paderne.

Modalidades

Como já referido anteriormente o Padernense fundou secção de Ténis de Mesa em 1979, contudo teve na ginástica, atletismo, futsal e cicloturismo outras modalidades onde se destacou.

Principais feitos:

  • Ténis de Mesa - 
  • BTT - Impulsionada por Lina Bazelga, é criada em 1994 uma equipa que se torna campeã distrital por equipas e vence a Taça de Portugal em Cadetes. Por dificuldades financeiras do clube, esta secção foi encerrada.

Estádio

 

 

 

Um website emjogo.pt